segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Um Pouco do Final de Semana {de 12 a 14 de Outubro}

 A segunda já foi, mas fica aqui um registro do meu final de semana prolongado.

Sexta-feira: minha mãe tinha dito que viria em casa nos visitar, então acordei por volta das 09:30. Depois do café dei uma limpada de leve na cozinha, tomei um banho e fomos buscar ela, já que os ônibus de Cotia a São Roque estavam saindo com intervalo de 1 hora. Ganhamos até chocolate de presente da mamãe!
 Fomos almoçar em um lugar diferente chamado Recanto da Preguiça, que fica numa região mais rural de São Roque, amei! Saindo de lá deixamos minha mãe em casa e voltamos pra nossa.


Já tinham retirado o buffet, mas por R$ 35 você come a vontade!

Presente da mamãe

Sábado: eu devia ter acordado cedo, mas o cansaço não deixou. Depois do café começamos a faxina e só terminamos quase as 15h. A noite fomos pra reunião aqui em Mairinque e depois fomos visitar meus sogros, aproveitamos pra comprar crepe, que é a nossa nova sensação de "besteiras que você come por aí", delícia!
  De volta pra casa assistimos "Felicidade Por Um Fio", no Netflix.

Pronta pra sair

Domingo: foi o de sempre...almoço na sogra. Depois fomos no shopping em Sorocaba porque eu precisava urgente fazer as sobrancelhas, estavam horríveis! Aproveitando que estávamos por lá, o Alexandre comprou camisetas que estava precisando, e tomamos um belo café da tarde na Casa Bauducco, que se tornou um dos meus lugares favoritos graças a fatia de chocottone maravilhosa!
  Chegando em casa capotei de sono, mas acordei pra passar roupa e aproveitei também pra finalmente assistir "Para Todos Garotos Que Já Amei".


O latte de Nutella também é maravilhoso!


 A minha ideia de não gastar tanto neste mês já foi por água à baixo, como vocês conseguem ficar em casa no final de semana?

Beijos e até mais!

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Olha Eu Aqui Gente!

 Depois de dias postando bonitinho, voltei a dar uma sumida básica daqui. Os dias estão mais corridos - o marido fazendo faculdade a noite, eu no último semestre da faculdade, trabalho - e minha cabeça fica cansada. É exatamente um cansaço mental, sabe? Tanto que até os dias que eu não estou fazendo nada, meu prazer é me jogar no sofá e vegetar a noite toda, até a hora de dormir.

 Nesses últimos dias tenho até feito coisas legais, mas não tive pique de vir aqui e compartilhar qualquer coisa, sempre que tenho muita coisa pra fazer eu dou uma travada, não sei explicar. Parece que procrastino mais quando as atividades vão acumulando, seja no trabalho, na faculdade, em casa...vai entender, só Freud explica.

 Mas logo tudo volta ao normal, não vejo a hora de ficar livre da faculdade, preciso também organizar melhor o conteúdo que posto aqui, tentar deixar este cantinho mais minha cara.

Por enquanto é isso, este é só um post pra dizer que estou viva, apenas com a cabeça a mil.

Beijos!


quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Viagem para Serra Negra/SP

Como prometido voltei pra falar um pouco mais sobre a viagem para Serra Negra e, como tecnicamente é a segunda vez que detalho um pouco mais uma viagem, ainda ficará faltando algumas informações, coisas que não guardei e estão sem uma maior descrição dos fatos e preços, preciso pegar as manhas, entende?

De qualquer forma espero que gostem, procurei deixar a minha visão das coisas e como me senti em cada lugar.

A pousada:

 Desta vez fizemos a reserva através do Hoteis.com. O Sítio Bom Fim, é uma pousada super simples, no quarto tem uma cama de casal confortável, uma de solteiro, banheiro com porta de vidro, TV pequena, frigobar e varanda. Como já chegamos fazendo bagunça, acabei não tirando foto do quarto, mas apesar de simples e pequeno valeu a pena, principalmente porque passamos a maior parte do dia fora. A pousada tem um ar mais rural, inclusive abriga alguns animais, tipo uma fazenda mesmo, tinha um avestruz, galinhas por todos os lugares, coelhos, cavalos, etc...as crianças adoram! Tem também um laguinho pra quem gosta de pescar, restaurante que serve almoço (não tenho certeza da janta) e porções, tem duas piscinas bem pequenas para as crianças e duas grandes para adultos.
  Quando chegamos fizemos uma refeição por lá, se eu não me engano o valor é de R$ 21 e você come a vontade, a comida é bem caseira e simples, mas deliciosa. No último dia também comemos uma porção com 25 coxinha  e tomamos uma cervejinha.
  O único ponto a se atentar é que esta é uma pousada não tão próxima ao centro (aproximadamente 8 km), e fica numa estrada com zero iluminação, o que não impede de encontrar fácil a pousada a noite, visto que eles iluminam bem a entrada, mas como o nome da cidade diz, você estará numa região de serra, e qualquer estrada que você pega tem muita subida e descida, fora as curvas! Se você vai sem carro talvez não valha a pena, e se vai, tome cuidado com a estrada.
  No geral é uma pousada que gostei e com certeza voltaria, o atendimento deles é show, são todos muito simpáticos.

Totais:

Duas diárias: R$ 400,00
Alimentação na pousada: R$ 100,00





A Fantástica Fábrica da Coxinha de Mandioca:

  Nossa única parada da ida, já quase chegando em Serra Negra fica na divisa das cidades de Morungaba e Amparo. Como o nome diz a especialidade é coxinha, tem de vários sabores, mas como sou básica comi de frango mesmo, bem tradicional pra não ter erro. Fora isso tem outros tipos de salgados, e é uma boa parada pra dar aquela esticada nas pernas e ir ao banheiro, que é bem limpinho.
  Nossos gastos foram 1 coxinha + um refrigerante (eu), 1 esfirra + suco (Alexandre), eu gostei bastante, não vi muita diferença entre a massa comum e esta de mandioca, mas vai saber né? Cada um tem um gosto, o Alexandre experimentou a minha e não gostou muito...kkkkk

Totais:

Alimentação: R$ 18,50


Teleférico:

  Nosso primeiro passeio na cidade e se você não tem medo de altura vale muito a pena, é muito gostoso! Ele te leva até o morro onde está o Cristo redentor, de onde você tem uma vista maravilhosa da cidade. Você vai numa cadeirinha simples, e se tem filho pequeno ele pode ir no seu colo pagando mais barato. Tanto em baixo, quanto lá em cima tem lojinhas e lanchonete, então você pode aproveitar pra dar uma passeadinha ou relaxar observando a paisagem.
  Se você não quiser subir até o Cristo com o teleférico pode ir de carro até a metade do caminho, onde tem um estacionamento, mas percebi que muitos idosos subiam a escada com um pouco de dificuldade, é bom se atentar a isso.
  Lá em cima ficamos na lanchonete, pedimos uma porção de batata rústica, que era tão bem servida que não aguentamos comer tudo, tomei um suco e o Alexandre tomou uma cerveja. Ah, tem banheiro também, mas você paga R$ 1 para poder utilizar.

Totais:

Teleférico (subida e descida 2 pessoas): R$ 32,00
Alimentação: 32,00





Trenzinho:

  Acho que esse é o passeio que toda cidade do interior tem, e que nós turistas nunca resistimos...kkkk
O Trenzinho é na verdade um carro (ou seria um caminhãozinho?) com vários banquinhos, no horário que fomos, já no fim da tarde, só tinha o passeio pelo centro da cidade, mas foi bem gostoso, outro passeio que as crianças gostam muito. Ele passou pelos pontos turísticos (praças, igrejas e estabelecimentos) da cidade, e ainda parou numa fonte de água natural, ainda distribuíram copinhos pra gente experimentar. A água deve ser boa mesmo, porque enquanto a gente estava lá dois grupos de moradores chegaram com galões pra encher, achei bem legal, fora o cuidado que eles tem com a fonte, ela tem portões e um horário de funcionamento e está em um local super bem cuidado.
 Além do passeio pela cidade, há outro trenzinho com um roteiro mais rural, mas precisa ir mais cedo.

Totais:

Trenzinho (2 pessoas): R$ 36,00





Cantina e Ristorante Famiglia Schiavo:

  Foi com certeza o restaurante que mais gostamos, quem resiste a uma boa comida italiana? Achei os preços bem razoáveis e a comida é realmente muito boa. Pedimos um penne com linguiça calabresa que servia duas pessoas, pra fugir um pouco do tradicional bolonhesa, acompanhado de um vinho Santa Helena, minha combinação favorita - macarrão e vinho. O valor dos pratos para duas pessoas estava por volta dos R$ 72,00 a R$ 80,00 reais.

Totais:

Alimentação: R$ 132,00



Disneylândia dos Rôbos:

Foi um dos pontos turísticos que pesquisei e mais quis visitar, só de ver a imagem daquele prédio colorido e maluco. A Disneylândia dos Robôs é um amontoado de bugigangas e criações, e acreditem, é bem legal. Direto eu me via de boca aberta olhando tudo o que tinha lá, é bem lúdico e com muitos coisas interativas. Você ainda pode subir por várias escadas, muitas escadas mesmo e chegar ao topo da casa/prédio, só achei meio perigoso para crianças, as escadas são pequenas e precisa de muito cuidado pra subir e descer.
  Um ponto negativo é se você tem rinite, como eu. Em 5 minutos lá dentro comecei a espirrar e não parei mais, fiquei o dia inteiro mal, sério! Mas é um lugar legal pra ir, eu recomendo.

Totais:

Entrada para duas pessoas: R$ 26,00









Rua Cel. Pedro Pentado:

É a principal rua do comércio de Serra Negra, é bem extensa e de ponta a ponta você encontra lojas de todos os tipo, mas principalmente de roupas. Eu achei os preços bem atrativos e as roupas bem bonitas, mas como estou numa fase mais gordinha acho terrível escolher alguma coisa, estou numa fase sem estilo, sabe? Então não comprei nada, mas o Alexandre achou duas camisas bonitas pra ele, e baratas se comparadas aos lugares que costumamos a comprar.
  Nessa mesma rua fomos em uma sorveteria, a Orsi Polari, uma delícia! Os sorvetes são inspirados nos gelatos italianos, e os sabores são criados pelo próprio dono. Você pode escolher os sabores mais tradicionais, com valor mais barato, os sabores feitos das misturas que eles criam, com valor intermediário, e os sorvetes mais especiais, que são mais caros. Infelizmente não guardei os valores da primeira e terceira opções, mas ficamos com a segunda, que custa R$ 15,00. O Alexandre pediu um de Kinder Chocolate, e eu um de morango com Nutella, a massa é bem levinha e deliciosa.

Totais:

2 camisas polo: R$ 59,80
2 Sovertes + água: R$ 33,00



Morhua Chopp Bar:

  Na noite de sábado, apesar da imensa vontade de comer de novo no Famiglia Schiavo, decidimos ir até a Praça João Zelante, onde estava acontecendo uma festa italiana e é cercada por barzinhos. Todos estavam muito cheios, paramos primeiro na frente do Café Boteco, mas como não vagava uma mesa fomos no Morhua, que fica bem ao lado. Pedimos dois pratos executivos, o meu era de parmegiana de filé mignon, com batata frita e arroz bem servidos, um pratão mesmo. O ponto negativo foi a batata frita, que estava fria, mas de resto estava tudo gostoso. Ainda bebemos suco/refrigerante e pedimos sobremesa. O atendimento é muito bom.

Totais:

Alimentação: R$ 111,00




Outros gastos que tivemos:

 Ao sair de casa nosso tanque estava quase vazio, mas ainda não estava no vermelho, abastecemos  assim que saímos R$ 59,70. Em Serra Negra andamos bem de carro, visto a distância até o centro, abastecemos de novo o carro pra ir embora R$ 70,00.
 Precisei comprar uns itens de higiene na farmácia R$ 28,00 e também comemos um lanche na cidade a tarde R$ 53,79. O centro estava muito cheio nesse feriado, então era quase impossível achar uma vaga pra estacionar na rua, então um dia não teve jeito pagamos R$ 30,00 de estacionamento. De lembrancinhas comprei imã de geladeira (que coleciono) e chaveiro R$ 13,90. E fomos também numa casa de doces caseiros e biscoitos R$ 28,90. Perdi os comprovantes de pedágio, mas foram dois na ida, e quatro na volta.

Total Aproximado da Viagem: R$ 1.264,59

  Esses foram os lugares que visitamos em Serra Negra, que com certeza é uma cidade que voltaríamos fácil. É muito gostoso andar por lá, a noite é bem movimentada e com bastante restaurantes e bares abertos no centro. Ainda teria mais coisas pra fazer, Águas de Lindoia/SP é bem perto, e lá tem o Thermas Hot World, um parque aquático que deve ser legal, mas não fomos. E fica perto também de Monte Sião/MG, cidade que faz parte do circuito turístico de malhas, no sul de minas, mas também não fomos conhecer.

Post loooongo mas espero que tenham gostado!

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Um Pouco do Final de Semana Feriado da Independência {de 7 a 10 de Setembro}

 Pensa numa depressão pós feriado! Estava precisando muito relaxar e fazer alguma coisa diferente, e a viagem para Serra Negra conseguiu reunir as duas coisas. Resumi um pouco do que fizemos nesse feriadão.

Sexta: o plano era sair de casa por volta das 07:30, mas o sono não deixou e esse foi o horário que acordei. Arrumamos as malas e saímos de casa alguns minutos depois das 09:00, abastecemos o carro e partimos. Fizemos apenas uma parada em uma lanchonete que tinha como especialidade coxinhas com massa de mandioca, eu achei uma delícia, o Alexandre não gostou muito. Chegamos na pousada quase 1 da tarde, aproveitamos pra almoçar por lá mesmo. Depois partimos para o centro da cidade, subimos de teleférico até o morro onde fica o Cristo Redentor da cidade, por lá comemos uma porção de batata rústica e depois descemos. No fim da tarde fizemos o passeio de "trenzinho" pelo centro da cidade e depois voltamos para a pousada. Com banho tomado fomos jantar, eu já tinha pesquisado alguns restaurantes e escolhemos um de comida italiana pra não ter erro, o Cantina e Ristorante Famiglia Schiavo, uma ótima escolha, pedimos vinho e penne com molho de linguiça...uma delícia.

Chegando em Serra Negra/SP

Sábado: depois do café da manha fomos conhecer a o Alambique-Vinícola Família Silotto e em seguida fomos pro centro da cidade, queria muito conhecer a Disneylândia dos Robôs, é um lugar meio Castelo Ra-Tim-Bum projetado por um cientista maluco...kkkk. Vale a pena conhecer, mas o acumulo de coisas empoeiradas atacou minha renite o dia todo. Em Serra Negra tem uma rua, a Coronel Penteado, que de ponta a ponta é repleta de lojas, principalmente de roupas. O preço é muito bom se comparado com lojas fast fashion e de qualidade também muito boa. O Alexandre comprou duas camisas polo por 29,90 cada, eu não estava inspirada pra fazer compras e acabei que não levei nada. Paramos numa lanchonete e comemos um lanche, depois perdemos a fome para o almoço, tomamos um sorvete e voltamos para a pousada. Tomei um Resfenol e capotei or esto da tarde. A noite fomos jantar, resolvemos ir na mesma região onde comemos um lanche a tarde, que é cheia de bares/lanchonetes, como na praça estava tendo a Festa Italiana todos os lugares estavam cheios, mas no fim achamos um lugar pra sentar e comi uma bela de uma parmegiana. Ficamos um tempo curtindo o show da praça e conversando, depois voltamos pra pousada.

Família Silotto

Domingo: já bateu a tristeza do último dia, como o check out era apenas as 15h decidimos aproveitar a pousada, de manhã estava muito calor e decidimos aproveitar a piscina...mas apesar do calor, a água estava friiiiia, ficamos só uns 5 minutos. Pedimos uma porção de coxinha e aproveitamos um pouco a rede. Como já estávamos de barriga cheia não almoçamos, arrumamos as malas, tomamos banho e partiu casa. Saímos de Serra Negra por volta das 14h e chegamos em casa por volt das 17h, o Alexandre só fez uma parada pra esticar as pernas. Já em casa aproveitei pra passar roupa e já era hora de dormir e começar mais uma semana.

Hora de voltar à relidade


Vou ver se consigo reunir as informações da viagem direitinho e contar aqui, pra ter uma noção de quanto gastamos numa viagem desse tipo. Como é bom sair da rotina né?

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Um Pouco do Final de Semana {de 31 de Agosto a 2 de Setembro}

 Post sobre o final de semana um pouquinho atrasado, e Setembro já está aí! Como o tempo tem passado rápido né?

Sexta: chegando do trabalho até pensei em fazer faxina, mas ficou só no pensamento mesmo, estava muito cansada e fiquei jogada no sofá até a hora de buscar o More na faculdade.

Sábado: não deu pra fugir da faxina, pensa numa casa suja? Como o More tinha ido trabalhar, comecei as tarefas sozinha, quando ele voltou ainda me ajudou a terminar. Pedimos marmitex e a tarde fomos ao shopping porque eu precisava comprar uma calça. Aproveitamos pra buscar minha mãe pra ir com a gente. Demos ainda uma passada rápida nas casas da minha prima e dos meus avós.

Mãe e eu ❤


Domingo: dia de dormir até tarde...depois fomos almoçar na sogra e fazer compras, decidimos ir num mercado novo de São Roque. A tarde descansamos, depois reunião, e já em casa de novo terminei a noite passando roupa, acho que sou a única pessoa que ama passar roupa (apesar de as vezes enrolar pra passar).

Pronta pra reunião me achando, vestida de vermelho

Essa semana vai ser curtinha e no próximo fds tem viagem! Que tenhamos um ótimo mês também.

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

O Dia que Meu Quarto Pegou Fogo

 O título deste post dá o que pensar, mas não, esta não é uma história do que você está pensando, literalmente meu quarto pegou fogo.

  Já tem um pouco mais de 2 anos e na época acebei deixando de falar aqui, mas olhando umas fotos perdidas no celular decidi contar, até mesmo como forma de alerta pra todo mundo.

 Não que eu tenha medo de escuro, mas um certo dia depois de muita chuva, a luz acabou quando estava sozinha em casa. Como o Alexandre trabalhava muito em eventos era comum eu passar as noites sozinha e nesse dia ele falou de colocarmos uma luz de emergência em casa. Um homem de palavra, pouco depois ele trouxe a lâmpada e colocamos ela no quarto em cima do móvel que tínhamos de frente pra cama, não sei qual era a marca da lâmpada, mas era do ching-ling.

A lâmpada era muito parecida com esta (imagem do Google)

 Muitos meses depois a lâmpada estava lá, firme e forte, não fazendo mal pra ninguém, na verdade nem lembrava dela ali. Até que um dia...meu amigo!

 Eu faço faculdade EAD, e as provas costumavam ser aos sábados de manhã, e o Alexandre também trabalhava aos sábados até o meio dia mais ou menos. Nesse dia levantamos, tomamos café, nos arrumamos e saímos de casa por volta das 07:30. Fiz a prova rapidinho e antes das 10h me encontrei com o Alexandre no centro de São Roque, ele ia me deixar em casa e voltar pro trabalho.

 Chegando comecei a subir as escadas, nosso prédio é pequeno tem o térreo mais 3 andares pra cima, moramos no último, e logo no primeiro degrau senti cheiro de queimado. Achei que fosse alguém fazendo queimada por aí, onde moro tem muito disso, e não liguei. Estava planejando mentalmente as coisas que iria fazer no dia, e abri a porta de casa. Meu cérebro demorou uns segundos pra processar as coisas que eu via, estava um ar estranho no apartamento, uma espécie de névoa, nos cantos entre o teto e a parede haviam espécies de "teias de aranha" bem pretas. O cheiro de queimado estava bem forte, e na minha cabeça tínhamos deixado a porta balcão aberta e alguém tinha colocado fogo no mato, que fica em frente, mas a porta estava fechada. Olhando tudo ao redor fui em direção ao nosso quarto, aí o choque foi grande. O móvel, tipo um rack, estava todo queimado, o quarto estava preto de fuligem, uma parte do ar condicionado estava derretida, um pedaço do colchão e um edredom queimados...bagunça pura, mas o fogo já tinha apagado. Peguei o celular na hora e liguei pro Alexandre, pedindo pra ele voltar urgente...ele não acreditou quando disse que a casa tinha pegado fogo, como não sabia o que tinha provocado disse que podia ser o ar condicionado o foco.

  Ainda desacreditada comecei a andar pelo apartamento vendo todo estrago, percebi do lado do móvel queimado o cabo da lâmpada de emergência, foi tudo o que sobrou dela. O Alexandre chegou e viu que não exagerei no telefone, o quarto pegou mesmo fogo. Na hora ele começou a organizar uma força tarefa, chamou todo mundo próximo pra ajudar na limpeza. Não tinha um ponto da casa que não estava preto de fuligem, guarda roupa, sofá, armários da cozinha, janelas, todas nossas roupas, lençóis, tudo!

 Graças a Deus no fim tudo deu certo, tenho um marido super precavido que tinha feito seguro da casa, mas até a aprovação sair foi um sufoco. Tivemos que parar de limpar a casa imediatamente, porque para o seguro aprovar o dinheiro, antes o apartamento precisava passar por uma perícia. Depois tivemos que cotar todos os bens perdidos e serviços necessários para a limpeza da casa.

   Ficamos uma semana dormindo na minha sogra, e mesmo quando voltamos ainda tinha aquele cheiro de queimado em tudo, demorou pra sair. Foi um susto imenso, mas no fim deu tudo certo, é em tempos assim que temos a oportunidade de ver a bondade nas pessoas, muitos nos ajudaram!

  O meu alerta é, tome cuidado com objetos elétricos, um curto-circuito poderia ter acabado não só com minha casa, mas botar em risco a vida de outros moradores. O fogo começou e apagou sozinho, mas poderia ter feito mais estrago.

O antes do móvel que pegou fogo

E o depois




A casa inteira ficou com teias pretas

Mesmo fechado o guarda roupas ficou preto

O que sobrou da lâmpada






segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Um Pouco do Final de Semana {de 24 a 26 de Agosto}

O final de semana foi de longe bem melhor do que imaginei, é assim que eu gosto. No fim deu até uma relaxada depois de uma semana corrida no trabalho.

Sexta: Chegando em São Roque depois do trabalho, fui até a casa da minha sogra deixar uns produtos da cesta básica, como é só eu e o Alexandre, acabamos dividindo alguns alimentos com ela e minha mãe. Chegando na rua de casa tive uma lembrança maravilhosa - todas as sextas agora tem feira na minha rua - estacionei o carro, subi correndo até nosso apartamento pra assaltar nosso cofrinho, e comprei dois pastéis, devia me contentar com apenas 1, mas a gordisse não deixa! Depois de comer assisti um pouco de TV, e lembrei também que tinha que passar algumas camisetas pro marido. Pouco depois o Alexandre me ligou pra ir buscar ele, nas sextas ele tem saído bem mais cedo da faculdade. Em casa de novo, terminei de passar as roupas e fui dormir.

Sábado: o sábado começou cedinho, combinamos com o primo do Alexandre e a esposa dele de irmos pra Itararé, interior de SP, visitar os tios deles. O sono não deixou eu levantar no horário, e acabei atrasando uns minutinhos. São aproximadamente 3h de viagem de Mairinque/São Roque até Itararé, e as paisagens do interior são sempre lindas! Chegamos um pouco antes do almoço e conversamos muito. A tarde fomos com a prima dos meninos conhecer a barreira de Itararé, a sorveteria do tio deles e depois beber  numa padaria no centro. Itararé é uma cidade bem pequena, com um pouco mais de 50.000 mil habitantes e tem aquele clima gostoso de cidade do interior.
 A noite voltamos, conversamos mais com os tios, jantamos e fomos dormir, depois de conversar muito mais, claro...hahaha



Barreira de Itararé



Domingo: acordamos tarde, levantei quase as 10h. Pra variar conversamos muito no café da manhã. Tomei banho, almoçamos, vimos fotos antigas e por volta das 16h fomos embora, mais uma vez a vista da estrada me deixou de queixo aberto, muitas terras, muita vegetação, muito céu azul e asfalto. Paramos duas vezes pra esticar as pernas, e ainda paramos em Sorocaba pro Alexandre comprar um pen drive, e eu aproveitei pra comprar as frutinhas da semana.
 Chegamos em casa quase as 20h, e só demos uma organizada nas coisas que levamos, eu pedi uma pizza pra finalizar o fds cheio de comidas (fechar a boca essa semana!), assisti Fantástico e fui dormir, o Alexandre já tinha desmaiado há tempos!

Na estrada, voltando pra casa!


O último final de semana de Agosto foi muito gostoso, agora que venha mais uma semana!